sexta-feira, 11 de abril de 2008

Poemas...




Aqui, poemas.
De todos os temas
e tremas
e tremedeiras
de panico...
Guerreira,
não me entrego.
Nego:
o frio,
a fome,
o cansaço,
a solidão.
Mas tudo isto existe
e dói imensamente
e, mais que tudo, dói
a ausencia de compreensão...
Eu me contento com pouco. Quem sabe, um dar a mão?
Aqui, poemas. Em desordem.
Parte visceras,
parte ilusão.
De tudo um pouco.
Um pouco da história pessoal,
um pouco da vivencia casual,
o bem, o mal,
mistura de luz e sombra ,
em partes, talvez, iguais.
E poemas, no papel,
para que não fujam mais...

3 comentários:

Asdrúbal Brandão disse...

Momy,

Sei o quanto gosta dos seus poemas e espero que este blog seja uma porta para compartilhar seu pensamentos com outras pessoas que têm os mesmos interesses, além de uma ótima forma de aprender a mexer no computador ludicamente.
Não exite em pedir ajuda.
Te amo!

Lia Sophia disse...

MEU FILHO:
Amor só existe demonstradamente.
E que demonstração!
Entendi toda a sua sensibilidade para com o meu maior problema ou êrro, por mim mesma criado: a dificuldade em compartilhar os pensamentos, ideias, de uma forma positiva. DEUS lhe guie e proteja.
Beijos...

Marcela disse...

§

Um belo poema... realmente, belo.

Fala sobre o fazer poético de um modo muito fluido e verdadeiro. E me identifiquei tanto com o poema, quanto com o cometário acima.

Eu demorei muito a aceitar que poderia dar forma às minhas idéias e pensamentos; mais ainda a expor aos olhares alheios.

No entanto, tenho aprendido, que compartilhar os escritos é fazer crescer a poesia que há em nós.

Tenha certeza de que estarei sempre por aqui e qualquer dúvida com a parte "técnica" do blog, pode recorrer a mim. Estarei sempre a postos.

Com relação ao tema musical, queria saber se perguntou sobre vídeos do youtube ou músicas em uma postagem ou naquele esquema em que toca automaticamente quando abre a página.

Se for o 2º caso, preciso pesquisar.

Um grande abraço e obrigada pela visita ao "postelunar".

§